sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Senador Cheiroso

Ontem ocorreu a eleição para presidência do senado, algo que geralmente não dou a muita importância, mas dessa vez uma estranha coincidência fez com que me interessasse um pouco mais pelo assunto. Ao tomar banho – momento em que geralmente tenho idéias mirabolantes – percebi que o sabonete que havia comprado no dia anterior se chamava Senador.
Não me dei ao trabalho de pesquisar quantos anos tem o sabonete, mas deduzo que com certeza é bem antigo, afinal, atualmente, dificilmente alguém teria a idéia de relacionar um produto que tem como finalidade a limpeza ao nome senador.
Não me refiro aqui a todos os senadores, pois generalização remete à burrice e demonstra ignorância, o meu ponto é a “impressão” que se tem deles na sociedade, e é sabido que num mundo dominado pela mídia é essa impressão que tem mais importância.
Temos parlamentares sérios que merecem respeito e ajudam a construir o país, e convenhamos que qualquer pessoa gostaria de ter um emprego de oito anos (no qual já se sai aposentado), com dezenas de cargos a distribuir e passagens de avião(R$ 7.000,00 mensais) para visitar a família nos finais de semana.
Tenho a estranha mania de ler rótulos até mesmo no banho e me achava meio louco por isso, mas recentemente em conversas rotineiras descobri que inúmeras pessoas têm essa estranha mania. Baseado na interessante leitura do rótulo do sabonete, não pude deixar de perceber algumas coisas e fazer uma pequena brincadeira.
Comecemos pela embalagem do produto. Logo na frente, Jabon de Tocador – uma qualidade imprescindível a um senador é ser jáBon de TocarNAdor do povo. Logo embaixo, um belo brasão, em Brasília todos adoram eles. E logo após Classic, essa parte deve se referir aos seus ternos Armani (tem até cota pra isso) e seus carros importados, sem esquecer é claro da "classe" propriamente dita, patrocinada pelos quase R$ 100.000,00, ao todo, que recebem mensalmente.
Em um dos lados da embalagem me chamou atenção o primeiro ingrediente do sabonete: Sais sódicos de ácido graxos, sem comentários. E do outro o slogan: “Uma fragância amadeirada...”, será se estão se referindo às faces da maioria deles?
Não sei, não quero saber e dou Graças a Deus de não ser o criador do tal sabonete, pois até parece uma provocação de tão cheiroso que é...

2 Comments:

At sábado, fevereiro 03, 2007 12:48:00 AM, Anonymous Marcelle Félix said...

Daniel meu amigo...GENIAL! Já li 10 vezes. Eu estou aqui matutando quantas vezes o Senador já passou por mim, de quantas vezes lí o rótulo( tu sabes que temos esta mesma mania louca) e eu nunca jamais teria esse insight!

mas que a maravilha que o sabonete é não faz jus ao nome.. isso não faz mesmo..!

beijos!
ps: Oba! fiz um comentário primeiro que Toty!

 
At sábado, fevereiro 03, 2007 9:55:00 PM, Blogger Toty Freire said...

chegou primeiro, hein marcelle? hehehehe.. que viagem, dand. gostei muito... esse sabonete já passou por mim algumas vezes e o máximo que percebi foi sua estética conservadora... mas não passei disso.. bom texto mesmo.. aliás, o que tu andou fumando? heheheh..

Visitem
www.internacao.blogspot.com

 

Postar um comentário

<< Home